Maus_capa
Título original: Maus
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 296
Nota: ♥♥♥♥♥

“Maus” é resultado de uma série de entrevistas feitas por Art Spiegelman com seu pai, que é judeu. Nessas conversas ele obtinha informações referentes às experiências de Vladek durante a segunda guerra mundial, mais especificamente sobre o holocausto nazista.

O livro inicia-se com Vladek idoso, contando a sua história para Art. No decorrer do livro, lemos muito mais do que sobre os campos de concentração. Tomamos conhecimento de como era a vida antes, durante e após a guerra.

O relacionamento entre pai e filho não era amistoso. Art não concorda com várias atitudes de seu pai, que possui uma personalidade irritante e que estressava a todos. O autor chegou até a ficar preocupado em publicar a obra, pois poderiam julgar correto o pensamento da época, pois Vladek era ranzinza, preconceituoso, mesquinho etc.

Tais atitudes em parte podem ser explicadas como consequências da guerra. O período passou, mas as marcas sempre permanecem. Quem foi torturado, escravizado e atormentado não consegue mais ambientar-se como antes. As lembranças não somem porque a guerra acaba. Vladek não acredita que estar vivo é uma vitória.

Os seres humanos são retratados como animais, cada “nacionalidade” é uma espécie diferente. Os judeus são ratos (em alemão: Maus), os alemães são gatos, os poloneses são porcos e os americanos, cachorros. Escrito em forma de quadrinhos, a leitura é bem rápida e envolvente. A visualização dos campos de concentração ajudou bastante no decorrer da história.


A escrita é leve e há muitos erros de concordância como, por exemplo, em “Então eles põe nós de novo na trem para morrer, e o viagem continuou mais...”, mas são erros propositais. Apesar de ser uma história forte, ela é contada de forma descontraída e a zoomorfização das personagens é um adicional muito criativo e simbólico.

“Maus” é o relato de um período conturbado e é um livro para ser relido várias vezes. O autor consegue transpor um misto de sensações impressionante. Além disso, ele retrata a história sem idealizar os judeus, mas mostrando os defeitos deles também, como todos nós temos. Muitos livros do gênero já foram lançados, mas este é um pouco diferente e eu recomendo bastante. É um dos meus favoritos.


10 Comentários

  1. douglas martins fraga09/10/2012 21:29

    Foi uma das maiores obras que ja li... E de longe a histórias triste contada da forma mais interessante que ja vi.

    ResponderExcluir
  2. FlaviaPenido10/10/2012 22:24

    Acho que to devendo a resenha desse livro lá no blog ha uns 3 meses e até hoje não tive tempo de elaborar uma rsrsrsrsrs
    Eu adorei esse livro, a forma de ter sido feito em quadrinhos, a forma como foi narrado... enfim.. adorei! É um dos livros que favoritei tb.
    Em determinadas partes meu olho enchia de lágrimas... Imaginar que existiram pessoas tão crueis assim me apavora... Nossa...


    Parabens pela resenha!


    BjokasFlavia - Livros e Chocolate

    ResponderExcluir
  3. Oi Alana!


    “Maus” parece ser um livro legal, mas não me interessei muito não!


    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Você disse que não curte muito a Meg Cabot e eu tenho que admitir eu quase sempre não gosto muito do primeiro e segundo livro de uma serie dela, no começo de A Mediadora eu larguei o livro varias vezes, mas quando cheguei no terceiro eu não larguei mais e devorei os outros livros haha.
    Sempre tive vontade de ler um livro com esse tema, esse por ser em quadrinho eu acho que conseguiria ler *-*
    Beijos
    http://docetimidez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Ah, que desenhos lindos :) Uma pena isso dos erros de concordância! Prejudica a leitura :/ Achei a ideia do livro muito legal, não conhecia!
    Beijo, Larissa
    Another Words
    http://anothersimplewords.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Kezia Martins10/10/2012 22:24

    Oi Alana.
    Adorei a história.
    Não conhecia o livro, achei bem interessante.
    Sempre que se fala em judeu eu lembro de A menina que roubava livros, que eu amo de paixão *-* hehe
    Vou anotar aqui para não esquecer :)
    Beijinhos,
    http://fulanaleitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá Alana!
    Lendo a sua resenha me deu a impressão de que ele se "parece" um pouco com A Revolução dos Bichos, que eu amei. Fiquei bem interessada nesse livro, vou procurar saber mais sobre, adoro livros que realmente tragam uma mensagem real.
    Parabéns pela resenha
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Muito interessante, Alana. Apesar de ser um tema pesado, eu gosto de ler sobre a segunda guerra. E esse livro parece ser escrito de uma maneira diferente. Gostei da resenha.
    Beijo.
    http://navirj.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Marcelle Dantas10/10/2012 22:24

    Olá Alana!
    Que bom que você gostou desse livro. Acho que eu não gostaria por conta do tema abordado, guerra e tal. Uma ótima resenha!
    Beijos,
    Marcelle
    bestherapy.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Eu não curto muito HQ, mais achei legal ^^

    ResponderExcluir