Ilustrativo. Li em e-book.
Tá aí uma obra que sempre gera polêmica. Afinal, como não geraria? O livro descreve os sentimentos e pensamentos mais obscuros de um homem, Humbert, de meia-idade que se apaixona perdidamente por uma menina de doze anos. O nosso narrador é um pedófilo e foi isso que tornou este livro tão notável desde seu lançamento.
Lolita, luz de minha vida, fogo de meu lombo. Meu pecado, minha alma. Lolita: a ponta da língua fazendo uma viagem de três passos pelo céu da boca, a fim de bater de leve, no terceiro, de encontro aos dentes. LO. LI. TA. Era LO, apenas LO, pela manhã, com suas meias curtas e seu um metro e quarenta e oito centímetros de altura. Era Lola em seu slacks. Era Dolly na escola. Era Dolores quando assinava o nome. Mas, em meus braços, era sempre Lolita.

Lolita é um livro para poucos, apesar de ser um clássico. Faz-se necessário ter um estômago forte para acompanhar a evolução da loucura de Humbert, para ler os diversos atos que realiza e as crueldades existentes neste livro. Um leitor que inicie Lolita com pré-julgamentos e muitas aversões, com certeza, abandonará esta que pode ser uma leitura fantástica. Muitas pessoas, que claramente não leram a obra, acreditam que Lolita faz apologia à pedofilia, mas, pelo contrário, é uma denúncia do que ocorre por vários cantos do nosso mundo.

Uma denúncia não somente de uma doença, mas de um tipo de amor: o amor insano e doentio. Esta é uma faceta do amor que muitas pessoas preferem fingir que não existe, mas, lendo Lolita, você não consegue se enganar. Por ser narrado por Humbert, lemos o seu ponto de vista sobre o ocorrido e percebemos, em diversos momentos, o remorso e a clareza de que está fazendo algo errado, apesar de que, em muitas vezes, Lolita também provoca e é perversa.

Nabokov nos faz sentir um misto de sentimentos durante a leitura. É difícil até de julgar Humbert pelos seus sentimentos. Li algumas resenhas e percebi que os leitores possuem diferentes conclusões sobre “quem é mocinho”, “quem é vilão” e se isso realmente existe nesse livro. Mas, para mim, H.H. é um sujeito condenável à perpétua, pois, simplificando a história, ele destruiu a infância de alguém.

 As descrições, os eufemismos, a maneira poética como o autor escreveu este livro... Foi demais. Adorei. Uma observação: há quem acredite que este é um romance erótico, mas não o é. O máximo que sugere erotismo ocorre em um dos capítulos inicias do livro, porém termina por ali. Humbert consegue ser nojento e odioso o suficiente sem precisar descrever minuciosamente o que ocorria.

Por fim, é um livro muito bom! Recomendo para quem o aguente. Sempre tive curiosidade de lê-lo e não me arrependo.


5 Comentários

  1. Oi Alana, tudo bom?
    Tenho muita vontade de ler esse livro. Já vi-o na biblioteca da faculdade, mas não pude pegar para ler na ocasião por conta da bendita da faculdade :S Agora vou ver se consigo ler *-*
    Parabéns pela resenha.
    Beijinhos e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  2. Alana mulherzinha, tu é corajosa hein? Comecei a ler Lolita, mas não consegui chegar na metade, se muito li foi até a página 50.. Achei a leitura muito desconfortável, não tenho estômago muito forte pra digerir uma leitura dessa, sou mole mesmo. O pior de tudo é saber que, como tu falou, o livro "é uma denúncia do que ocorre por vários cantos do nosso mundo".. Espero um dia conseguir ler ele por completo, mas por enquanto, só não rola.. :/
    Tenha uma ótima semana cheia de leitura boa, beijo!! :-)

    www.artigo2.com.br

    ResponderExcluir
  3. Também gostei muito do livro. Esse jogo que o escritor faz com o leitor nos fazendo questionar o narrador e a visão que ele tem dos fatos é genial. É uma história de amor doentia, sórdida e nem por isso deixa de ser interessante.
    Beijos.

    http://navirj.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Alana, tudo bem?

    Eu já comecei a ler Lolita certo tempo atrás, mas, talvez por ainda ser muito nova, não estava conseguindo entender muito bem a história e a abandonei. Você tem razão, é uma narração repleta de figuras de linguagem e precisa ser lida atentamente para se interpretar corretamente o que o autor tenta transmitir. Acho que você teve uma boa compreensão do livro e, por isso, sua resenha ficou muito boa :)

    Abraços purpurinados,
    Elisa~
    The Fat Unicorn

    ResponderExcluir
  5. Gustavo Woltmann02/02/2017 11:20

    Top top mesmo! Não canso de falar que gostei mesmo! Sua criatividade é show! Claro que cada um tem sua opinião e se expressa com quer porém respeitando o próximo, isso é o que importa, não é mesmo? Como posso fazer para falar com você tem algum email de contato ou algum formulário de contato para falar com vocês? Abração!

    ResponderExcluir